•histórico

A importância do Agronegócio

O segmento produtivo do agronegócio é responsável por cerca de 30% do PIB e por aproximadamente 33% dos empregos gerados na economia estadual. Mais de 80% dos municípios do estado, têm nesse segmento, sua principal fonte de renda. No Brasil, o PIB do Agronegócio é de 25%, portanto menor que no Espírito Santo.
O PIB do Agronegócio pode ser subdividido em quatro agregados: Agregado I – Insumos para agricultura; Agregado II – Os setores tradicionais de produção na agricultura; Agregado III – Indústrias de base agrícola (indústrias de transformação dos produtos do agregado II); Agregado IV – Transporte, comércio e serviços referentes à distribuição final dos produtos agrícolas (dos agregados II e III).

Participação % de cada Agregado no PIB do Agronegócio

 

ES

BRASIL

Agregado I -Insumos

8,7%

10,9%

Agregado II- Produção agrícola

39%

24,8%

Agregado III- Agroindústria

20,1%

31,9%

Agregado IV- Serviços

32,2%

32,4%

No quadro acima, é possível observar que em relação ao Agregado II (Produção agrícola), o ES possui uma média bem maior que o Brasil. O ES produz café e fruticultura, produtos que possuem alto densidade de renda, ou seja, alta rentabilidade. Já os grãos, especialmente a soja, foco do agronegócio no Brasil, tem rentabilidade menor, o que se reflete nos números apresentados no quadro a seguir.

Participação Percentual na Renda Bruta Total
da Produção Agrícola ( Agregado II)

 

ES

BRASIL

Café

44%

5%

Fruticultura

16%

6%

Grãos (soja, milho, feijão, arroz, trigo...)

3%

42%

É interessante notar que a participação do segmento de Insumos para agricultura e o segmento de transporte, comércio e serviços no Espírito Santo é próxima da observada para o Brasil. Já no segmento da agroindústria, a participação percentual brasileira é maior que no estado do Espírito Santo. Isso demonstra a necessidade de aumentar a agregação de valor aos produtos agrícolas capixabas.

Destaca-se que o agronegócio, além de produzir alimentos, fruto mais nobre da terra, é multifuncional produzindo também
energia, combustível, bebidas, roupas, móveis, papel, preservativos, pneus, água, entre outros.

Entretanto, apesar de toda sua importância econômica e social, o setor não dispunha até 2004 de uma instituição que atuasse de forma global. Desta forma, o CEDAGRO se propõe a conceber e executar políticas e ações de defesa, promoção e fortalecimento de todos os segmentos ligados ao agronegócio.